Home > Notícias
29/03/2019

Ano de 2019 ainda não deve ser o da virada para varejo dos Estados Unidos

O ano de 2019 pode não ser o ponto de virada para as lojas de departamento norte-americanas. Isso foi anunciado por um relatório da Moody's, segundo o qual as vendas no varejo estão associadas ao enfraquecimento da confiança do consumidor. A metragem comercialmente ativa do setor, segundo o instituto de pesquisa financeira dos Estados Unidos, perderá 4% de espaço, após os -13% registrados em 2018.

Uma influência negativa se deve, entre outros, à reestruturação da Sears e ao colapso da Payless, que está se preparando para o fechamento de todos os seus 2.100 pontos de venda entre os Estados Unidos e Porto Rico. De acordo com a Moody's, a gestão dos níveis de estoque será melhorada, o que depende cada vez mais da evolução tecnológica e do big data, mas sempre exigirá tempo para alcançar a plena eficácia.

A análise da Instinet, distribuída pelo Retail Dive, segundo a qual "os níveis de estoques ainda não estão suficientemente saudáveis para serem comprados pelas lojas de departamentos para executar políticas de vendas de preço total" é menos otimista quanto a essa questão. Isso será acompanhado pelos custos associados ao desenvolvimento da presença do e-commerce, pressionando as margens de marcas como Macy's e Nordstrom.

Leia também:
Após 2017 difícil, Prada voltou a crescer em 2018
Congresso Mundial do Calçado em Nápoles: sustentabilidade e mundo digital em pauta
Nike tem problemas com as autoridades fiscais na Europa
New Balance: uma nova fábrica "digitalizada" nos Estados Unidos