Home > Notícias
24/06/2020

Conexão COUROMODA: com inovações, Jorge Bischoff, Ferracini e Kidy demonstram confiança no futuro de seus negócios

A estreia do Conexão COUROMODA, no último dia 22, trouxe boas notícias para o setor calçadista. Os dirigentes das três indústrias participantes – Jorge Bischoff/Loucos & Santos, Ferracini e Kidy – enfatizaram que, depois do impacto inicial e de um período de adaptação à nova realidade do mercado, estão prontos para retomar a normalidade do atendimento aos clientes com novidades nas linhas de produtos, nos canais de vendas e nas estratégias de negócios. 

Veja na íntegra o vídeo abaixo:

O primeiro Conexão COUROMODA, novo espaço para debates, entrevistas, análises e opinião qualificada à disposição do cluster calçadista, teve como tema os desafios e as novas perspectivas para a indústria calçadista no período pós-pandemia. Foram convidados para tratar do assunto Jorge Bischoff (CEO do Jorge BischoffGroup), Ricardo Gracia (diretor acionista da Kidy) e Roberto Barbosa (COO da Ferracini 24h). O evento teve a mediação do jornalista Mauro Moraes (editor-chefe do portal Couromoda) e do consultor Airton Manoel Dias (Comitê Couromoda de Varejo), além da participação especial de Jeferson Santos, diretor geral da Couromoda.

A marca de calçados e acessórios de moda Jorge Bischoff, com cerca de 80 franquias no Brasil e no exterior, desde o início focou na solução dos problemas e apostou na negociação com os franqueados. Para concluir a entrega dos pedidos em carteira, cada lojista pode escolher o que queria receber e o prazo de pagamento. Além disso, a marca definiu uma coleção virtual para trabalhar nos meses seguintes e disponibilizou plataformas digitais para auxiliar os clientes a vender. Também fez reuniões online quinzenas com os franqueados para trocar informações e criar estratégias de ação. “Muita coisa foi feita em 60 dias, mas podemos fazer mais”, afirma o CEO Jorge Bischoff.

Segundo ele, no final de agosto, será lançada a coleção de verão e há convicção de que as pessoas vão continuar consumindo sapatos. Um ‘novo mercado’ começa a ganhar forma e certamente oferecerá muitas oportunidades às empresas que se preparam e se mostrarem eficientes. A Loucos e Santos, outra marca do grupo, também fez reuniões online com seus mais de 700 clientes multimarcas, criou uma coleção virtual e, atualmente, também aposta na venda online, cujos volumes são positivos.

Kidy: comitês de redução e ativação
Também logo no início da pandemia, a fabricante de calçados infantis Kidy, de Birigui/SP, criou dois comitês internos, um de redução e outro de ativação, para coordenar as atividades da empresa. Com a colaboração de fabricantes de máquinas, montou uma unidade de EPIs que chegou a produzir 350 mil máscaras ao dia e atualmente possui clientes em todo o Brasil.

Na unidade calçadista, que em 2020 ano completa 30 anos de operações, montou uma plataforma digital para gerir os negócios com o varejo nacional e clientes de outros 40 países onde atua. Desenvolveu uma coleção mais enxuta, assertiva e com as consagradas tecnologias de conforto e saúde da marca que em breve estará nas lojas. A equipe de representantes recebeu treinamento e passou a utilizar ferramentas de vendas digitais. Houve cancelamentos, mas a central de pedidos buscou atender as necessidades dos clientes brasileiros e, ao mesmo tempo, iniciou as exportações ao Chile e aos Estados Unidos.

A empresa também atribui ainda mais relevância ao programa interno de metas audaciosas, denominado de As Mais, que ganhou objetivos desafiadores a serem alcançados neste e nos próximos anos.

“Não fizemos qualquer tipo de pressão sobre os lojistas, pois estamos ao lado deles na busca por resultados. Apostamos na criatividade e na motivação de nossa equipe para inovar e superar as adversidades. Certamente estamos melhores do que antes e ainda mais dispostos a ser parceiros dos lojistas. Olhamos para o futuro e, em breve, estaremos de volta à normalidade, que será um pouco diferente do que era antes, mas com muitas possibilidades de negócios”, explica Ricardo Gracia.

Ferracini: desde cedo, foco na retomada dos negócios
A Ferracini, de Franca/SP, também apostou na união com os lojistas, o que permitiu reduzir os cancelamentos de pedidos e aumentar a prorrogação de entregas e vencimentos. Na unidade produtiva, regras de distanciamento entre os colaboradores e higienização passaram a ser observadas e parte da equipe administrativa foi colocada em home office.

“Desde cedo, passamos a focar na retomada dos negócios”, afirma o COO Roberto Barbosa. As equipes de marketing e vendas definiram estratégias de atuação junto aos cerca de 10 mil clientes no Brasil, além de outros 45 países que recebem os calçados masculinos da marca.

O resultado prático, conforme ele, é que as vendas para Dia dos Namorados foram superiores ao planejado e a previsão para o Dia dos Pais, com mais lojas abertas em todo o país, sejam ainda melhores. A loja própria da empresa em Franca, por sua vez, registra atualmente vendas diárias equivalentes a 90% do volume de igual período de 2019.

“Isso demonstra que não podemos nos deixar abater pelas dificuldades. Devemos, sim, valorizar as ideias que vêm da equipe e trabalhar com equilíbrio e superação. As pessoas fazem a diferença, trabalhamos com união e respeito com os parceiros e, acima de tudo, temos confiança na marca”, finaliza.