Home > Notícias
07/06/2019

Itália lida com a queda dramática do consumo interno de roupas e calçados

A queda substancial e prolongada no consumo colocou a histórica rede italiana de lojas de roupas e calçados em crise. Desde 2011, mais de 13.000 lojas de roupas e 3.300 lojas de calçados desapareceram. Os dados são da pesquisa da Confesercenti (a associação de comerciantes italianos) sobre o consumo dos italianos.

O consumo de vestuário é crise atrás de crise. Os gastos das famílias com vestuário caíram 17,5% em oito anos, para um total de quase 8 bilhões de euros a menos em gastos. A parte das despesas dedicada ao vestuário e calçado está agora em 4,4%, menos de um terço dos 13,6% registrados em 1992, e que colocou o pais - junto com o Japão - no topo do ranking mundial.

"A crise e a austeridade parece ter apagado o gene da moda do DNA italiano", destaca Patrizia De Luise, presidente da Confesercenti. "E, também, as lojas de roupas de nosso país, antes referência para novas tendências globais, estão gradualmente desaparecendo".

Leia também:
Luisa Via Roma e Secoo firmam parceria
China segue com vendas impressionantes no comércio online; já no varejo físico, performance é mais tímida
Egito receberá parte da produção do gigante chinês Huajian Group
Marca espanhola Munich fechou 2018 com desempenho vigoroso