Home > Notícias
05/06/2019

Liberação do FGTS pode injetar até R$ 30 bilhões na economia antes do Natal

Já está na mesa do Ministro da Economia Paulo Guedes o plano para a liberação dos valores das contas ativas e inativas do FGTS. Segundo fontes do Planalto, a operação seria relativamente simples e poderia ser colocada em prática em não mais de três meses. A estimativa da equipe econômica é a de que a ação injetaria mais de R$ 30 bilhões na economia, antes do Natal, potencializando os resultados da principal data do comércio brasileiro.

Brasil cria 129 mil vagas em abril, melhor nível para o mês desde 2013
O Brasil gerou 129,6 mil vagas formais de emprego em abril, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). O número é o maior para abril desde 2013 e resultado de 1.374.628 admissões ante 1.245.027 desligamentos. Esse é o terceiro ano consecutivo que abril apresenta saldos positivos, refletindo a recuperação do contingente de empregos formais. No acumulado do ano, o estoque de empregos chegou a 38,5 milhões.

Vendas do Magazine Luiza disparam 28% no primeiro trimestre, totalizando R$ 5,7 bilhões
O Magazine Luiza comunicou, no dia 6 de maio, à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) seus resultados financeiros relativos ao primeiro trimestre do ano fiscal de 2019. No período, as vendas em todos os canais da companhia aumentaram 28% em relação a 2018, atingindo um total de 5,7 bilhões de reais. O lucro líquido pró-forma foi de 132,1 milhões de reais e o Ebitda pró-forma atingiu 318 milhões de reais - com margem de 7,4%. O crescimento da receita nos canais digitais foi de 50% e totalizou 41% das vendas totais da companhia.

MP da Liberdade Econômica reduz burocracia e anima empreendedores
Foi assinada, nesta terça-feira, dia 30 de abril, a medida provisória batizada de MP da Liberdade Econômica. Ela estabelece garantias de livre mercado e reduz exigências burocráticas. Uma das mudanças da medida é retirar exigência de quaisquer licenças ou alvará para empresas consideradas de baixo risco que sejam usadas para sustento do proprietário e família, incluindo alvarás de funcionamento, sanitário ou ambiental. “A medida provisória terá impacto positivo na economia ainda este ano, principalmente para pequenas e médias empresas”, garante o secretário especial de Desburocratização, Paulo Uebel.

Otimismo com imóveis atinge recorde; incorporadoras confirmam momento favorável
A confiança dos brasileiros na compra de imóveis como fonte de renda continua firme: 60% dos que compraram imóvel no ano passado acreditam que o preço vai subir em 2019. É o maior nível registrado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), que faz o levantamento desde 2014. Ao mesmo tempo, as prévias operacionais do primeiro trimestre já divulgadas pelas incorporadoras de capital aberto apontam forte crescimento de lançamentos e vendas imobiliárias. Os lançamentos totalizaram R$ 3,84 bilhões, alta de 82,3%; enquanto as vendas cresceram 30,7%, contabilizando R$ 4,06 bilhões.

Atividade do comércio cresce 2,33% em março
O comércio varejista segue em trajetória de recuperação. Dados apurados pelo Indicador de Atividade do Varejo da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostram que as consultas para vendas a prazo cresceram 2,33% no acumulado em 12 meses até março deste ano. No mesmo período do ano passado, as vendas do segmento haviam crescido 1,49%. O Indicador de Atividade do Comércio é construído a partir do volume de consultas de CPFs e é um termômetro da intenção de compras a prazo por parte do consumidor, abrangendo os segmentos varejistas de supermercados, lojas de roupas, calçados e acessórios, móveis e eletrodomésticos, entre outros.

PEC da Previdência pode alavancar Reforma Tributária
Tida como o principal problema da Reforma Tributária, a concomitância de sua tramitação junto com as mudanças na Previdência passou a ser encarada no Congresso como seu maior ativo. Depois de se reunir com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e com os líderes de alguns dos principais partidos da Casa, o economista Bernard Appy, diretor do Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e ex-secretário-executivo do Ministério da Fazenda, saiu convencido de que a reforma foi comprada pelo meio político como a ‘agenda positiva’. “Ao rever a tributação sobre bens e serviços, folha de pagamento e renda, a reforma pode impactar positivamente o país na agenda de produtividade, geração de emprego e distribuição de renda”, disse Appy, em entrevista ao Valor.