Home > Notícias
08/02/2019

LVMH: um 2018 de recordes positivos

A LVMH, número um mundial do luxo e proprietária de 70 marcas, lideradas pela grife Louis Vuitton e incluindo Dior, Bulgari e Moët & Chandon, publicou seus resultados anuais na noite de 29 de janeiro, após o fechamento das negociações na bolsa de valores. As vendas totais do grupo francês atingem um nível recorde de € 46,8 bilhões, um aumento de 10% em relação ao ano anterior.

O crescimento orgânico das vendas chega a 11% e “todos os grupos empresariais apresentam excelentes desempenhos”, explica a LVMH. O crescimento anual fortíssimo foi impulsionado pelo desempenho da Louis Vuitton, apesar da desaceleração do crescimento chinês e da turbulência causada pelo movimento dos coletes amarelos na França no final do ano.

No quarto trimestre, a tendência é um pouco menor em relação ao resto do ano, com um crescimento orgânico de vendas de 9%. Porém, contrariando as previsões, a divisão de moda e artigos de couro, que inclui a Louis Vuitton, principal geradora de lucros do grupo, acelerou fortemente o ritmo no final do ano. Seu crescimento orgânico aumentou 17% em vez dos 11% esperados, após uma progressão de 14% nos primeiros nove meses.

O resultado operacional atual comunicado pelo grupo é de 10 bilhões de euros para o ano fiscal de 2018, um aumento notável de 21%. Bernard Arnault, presidente e CEO da LVMH, declarou: “A LVMH registra um novo ano recorde, tanto em termos de vendas quanto de resultados. Em particular, o resultado operacional atual supera a barreira de 10 bilhões de euros. A desejabilidade de nossas marcas, a criatividade e a qualidade de nossos produtos, a experiência exclusiva oferecida aos nossos clientes, o talento e comprometimento de nossas equipes são todos pontos fortes do grupo que fizeram a diferença novamente”.

Leia também:
Feira Mipel 115 traz de volta grandes marcas de bolsas e acessórios de couro
União Europeia e Japão: começa o livre comércio entre países que compreendem 1/3 do PIB mundial e 600 mi de pessoas
Santoni e Church’s: não só homens
El Corte Inglés vende a casa?