Home > Notícias
18/09/2020

Indústria pede parcelamento de débitos com a União para retomada

Na defesa de uma retomada pós-crise do novo coronavírus, a indústria brasileira, representada pela CNI, apresentou nesta quinta-feira (17) uma série de propostas para serem adotadas visando uma melhora no cenário econômico do país. A entidade reúne ações que, avalia, "farão o setor produtivo voltar a se desenvolver e gerar empregos". Primeiro são apresentadas cinco propostas para um período de transição e depois 14 sugestões mais estruturantes parar melhorar o ambiente dos negócios. Entre as iniciativas sugeridas para o período de transição, a entidade defende a criação de um programa para parcelar débitos com a União e usar créditos para quitar dívidas tributárias. 
Segundo o texto, as medidas de postergação de pagamentos de tributos, criadas durante o pior momento da crise, ajudaram a evitar falência das empresas, mas a entidade afirma que as companhias ainda estão fragilizadas e a economia está longe de retomar os patamares pré-pandemia.

VEJA OS PONTOS DEFENDIDOS PELA ENTIDADE:
> Prolongamento da vigência dos programas emergenciais de financiamento
> Manter e avançar em medidas de aplicação imediata de modernização, simplificação e eficiência das relações do trabalho
> Parcelamento de pagamentos dos tributos adiados
> Instituir programa de parcelamento de débitos com a União
> Manter a política de expansão do crédito e redução do custo do financiamento
> Reforma tributária
> Aprovação da Nova Lei do Gás Natural
> Promover uma reforma administrativa
> Garantir o aumento e a estabilidade de recursos para Pesquisas, Desenvolvimento e Inovação (PD&I)