Home > Notícias
24/05/2019

Na guerra comercial contra os Estados Unidos, a China contra-ataca pesado

A China anunciou que, a partir de 1º de junho, aumentará os impostos sobre produtos importados dos Estados Unidos, no valor de 60 bilhões de dólares, de 10% para 25%. Pequim, portanto, ignorou as ameaças do presidente norte-americano Donald Trump que havia dito ao governo chinês para não retaliar, "caso contrário, as coisas só piorariam".

No dia 17 de maio, as tarifas dos Estados Unidos aumentaram de 10% para 25% sobre 200 bilhões de dólares de importações da China, e as autoridades chinesas especificaram que o aumento afetará cerca de 5.000 produtos dos Estados Unidos atualmente afetados por tarifas entre 5% e 10%, que em alguns casos aumentará para 25%.

Os produtos de origem animal, as frutas e legumes congelados serão tributados a 25%; serão tributados a 20%, por exemplo, produtos químicos e vodca. Os impostos serão aplicados aos produtos dos Estados Unidos a partir de 1º de junho.

Além de elevar os impostos, a China está considerando outras medidas para atingir os Estados Unidos, incluindo uma redução nos pedidos da Boeing, a venda de títulos do Tesouro em seu portfólio (Pequim é o principal credor dos Estados Unidos) e a interrupção da compra de produtos agrícolas e energéticos.

Leia também:
Louis Vuitton: a bolsa do futuro é (quase) realidade
Indústria calçadista da Itália fechou o ano de 2018 com saldo positivo
Feiras Futurmoda e Gallery Shoes vislumbram dias melhores
Americana Payless Shoe Source está se preparando para fechar todas as suas 2.100 lojas