Home > Notícias
11/07/2019

Nike e um 4 de julho para ser esquecido

A Nike tropeçou com o Air Max 1 Quick Strike Fourth of July. A gigante norte-americana não teve tempo de lançar no mercado o novo modelo de tênis dedicado às comemorações de 4 de julho e teve que retirá-lo imediatamente. O motivo? Uma pequena bandeira costurada no calcanhar.

Ela reproduz a bandeira americana do final do século XVIII, com 13 estrelas formando um círculo sobre um fundo azul e 13 faixas. Uma bandeira, como o Wall Street Journal explica, valida entre 1777 e 1795, portanto, em plena época escravagista.

Ainda de acordo com relatos do WSJ, a Nike teria retirado os tênis também após protestos de Colin Kaepernick, ex quarter back do San Francisco 49ers, uma figura relevante nos protestos contra a discriminação levantada por jogadores de futebol americano.

De fato, ele é o jogador que entrou na história por não ter se levantado durante a execução do hino nacional. Kaepernick disse acreditar que a presença dessa bandeira seja ofensiva porque remete a uma época das trevas na história dos Estados Unidos.

Leia também:
Estariam os saltos altos com os dias contados?
Marina Larroude deixa a vice-presidência da Barneys New York para liderar os negócios americanos da brasileira Schutz
Frida Kahlo & Vans: combinação aparentemente improvável, mas com resultado positivo surpreendente
Vietnã: sim ao livre comércio com a União Europeia