Home > Notícias
21/02/2020

Recorde: Itália exporta mais de € 10 bi em calçados

Mais de  € 10 bilhões de vendas no exterior. O sapato italiano em 2019 bateu recordes. Um desempenho que confirma como positivo o saldo comercial do sapato italiano por cerca de  € 5 bilhões. Mas, apesar de tudo, isso não permite um olhar tranquilo para o futuro: Segundo Siro Badon, presidente da Assocalzaturifici, “a balança está no claro-escuro. A queda nos volumes é evidente, embora limitada, assim como a queda constante no mercado interno. Vários mercados internacionais estão enfrentando dificuldades.”

Existem mercados lucrando, e não poderia ser diferente. Principalmente o suíço, que nos primeiros 10 meses atingiu +26,8% em valor. A Boom que, com +9,3% na França, demonstra a ligação entre calçados italianos e grifes internacionais. Enquanto a Espanha e o Reino Unido registram um simétrico +6,4%, China e Hong Kong registram +9,4% e +2,6%, respectivamente. As vicissitudes da República Popular, agora sob a ameaça do coronavírus, são uma das principais preocupações do calçado italiano.

Além disso: “A Rússia e a área da CEI marcam -11,1% em média”, comenta Badon. “E isso acontece anualmente. Em comparação a 2013, a queda é de 50%. As dificuldades das empresas italianas são compreensíveis.” Mas o Oriente Médio (-7,2%) e a Alemanha também estão definhando, enquanto o mercado italiano é incapaz de oferecer indicadores de crescimento.

2020 será, portanto, um ano difícil: O presidente da Assocalzaturifici continua: “A coleta de pedidos para o primeiro trimestre está diminuindo. 6 em 10 empresas esperam uma queda na produção. Mas isso não significa desistir.”

Leia também:
Detentor das marcas Gucci e Yves Saint Laurent, grupo Kering faturou € 15,88 bilhões em 2019, crescimento de 16%
Tóquio 2020: definidos os parâmetros para calçados permitidos nas Olimpíadas
Premiere Vision muda datas para 2021
Indústria calçadista da Argélia a caminho da iminente extinção